Soluções criativas, funcionais e aceleradas. É o que promete o Design Thinking, um método empresarial que se apoia nos preceitos multidisciplinares do design para identificar problemas e entregar respostas inovadoras para eles.

A grosso modo, a ideia é se apoiar nos recursos visuais para visualizar todos os pontos fracos e também as potencialidades da empresa ou projeto. Assim, o pensamento segue uma linha abrangente que inclua todas essas variáveis simultâneas e traga soluções com aplicabilidade real e com base no bem-estar de todos os envolvidos.

O método pode ser utilizado em diversos segmentos e setores, inclusive no universo da gestão e produção de eventos, que pode se beneficiar muito dessa característica de buscar soluções plurais e rápidas. O Design Thinking é para todos que desejam aprimorar a sua forma de trabalho, independentemente da área.

Entrevista com Felipe dos Santos

1. Como podemos definir o Design Thinking?

Vários autores definem o Design Thinking de formas diferentes, mas que abrangem uma mesma direção. É uma abordagem integrativa e multidisciplinar que traz o olhar do design orientado para solucionar problemas de forma criativa, a partir de processos e análises de uma dinâmica bem estruturada para gerar ideias. Essas ideias traduzidas tornam-se propostas viáveis, que fazem sentido para as pessoas e geram inovação.

2. Na prática, quais são as etapas para a sua aplicação?

A primeira etapa do processo,  também conhecida por** Empatia**, tem por objetivo a exploração de cenários, levantamento de informações e observações pertinentes.  Naturalmente, gera-se um grande volume de informações na etapa de empatia.

A segunda etapa é destinada ao** Foco**. Nela, busca-se organizar esses dados, visualmente, visando facilitar a identificação destas oportunidades e desafios.

A** Ideação**, é a terceira etapa, que busca-se gerar ideias inovadoras, através de atividades lúdicas e colaborativas que promovam a criatividade e oportunidade de inovação.

A quarta etapa é a Prototipação, para promover a tangibilização das ideias, ou seja, criar um protótipo (ou MPV) que possa ser testado.

A última etapa é a de Teste, que busca a validação das ideias  para captar a percepção e encontrar possíveis ajustes necessários e gerar melhoria contínua no decorrer do processo de implementação.

3. Como o Design Thinking ajuda a criar projetos inovadores?

O design thinking atua com uma equipe multidisciplinar, integrando diferentes conhecimentos. Todos esses olhares contribuem com uma abrangência para traduzir ideias para projetos inovadores.

4. Para quem é interessante dominar a metodologia?

  • Empreendedores, startups, autônomos, estudantes e profissionais de qualquer área.
  • Quem busca e precisa imediatamente criar soluções para os desafios do mundo atual e futuro.
  • Quem busca constante atualização, conhecimento e aprendizagem;
  • Quem quer aprender um novo modelo de pensar e trabalhar.

5. Como trazer o Design Thinking para a realidade das empresas e qual a importância disso?

Cada empresa pode identificar inicialmente na sua realidade a dimensão (ambiente, produto ou serviço, processos ou pessoas)  mais propícia para aplicação imediata do design thinking gradativamente.

6. Qual o papel da equipe no sucesso desta estratégia?

Estar de mente aberta, disposta e motivada.

Em uma realidade que exige soluções cada vez mais ágeis, inovadoras e inteligentes, o Design Thinking pode ajudar você e a sua empresa a despontarem no mercado.